Formulário de Consulta

Pessoa Jurídica / Pessoa Física

CÓDIGO:    SENHA:   
(Acesso restrito)

  • Imagem
  • Imagem
  • Imagem
  • Imagem
  • Imagem
Rua Barão de Jaceguai, 674 - Centro - Mogi das Cruzes/SP - (11) 4728-4300 |

Deputado federal Junji Abe buscará apoio para derrubada do veto ao Refis

A Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC) recebeu ontem a promessa do deputado federal Junji Abe (PSD) de buscar apoio no Congresso Nacional para derrubada do veto do presidente Michel Temer (PMDB) ao projeto de lei que cria o Refis das Micro e Pequenas Empresas. Na tarde de hoje (02/03), o presidente da entidade, Marco Zatsuga, e demais integrantes da diretoria se reuniram com o parlamentar e representantes do setor para discussão do assunto que deve ser levado à votação na próxima terça-feira (06/03). O gerente regional do Sebrae Alto Tietê, Sérgio Gromik, e o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Mogi das Cruzes e Região (Sincomércio), Valterli Martinez, estiveram presentes.

O apelo ao deputado foi feito pelas Associações Comerciais da Região do Alto Tietê - representadas pela Regional Administrativa 3 (RA-3) da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp) -, que convocam os empresários da Região a se unirem nesta mobilização, pressionando os deputados federais com representatividade em suas cidades a votarem pela derrubada do veto.

“As micro e pequenas empresas representam hoje 25% do PIB (Produto Interno Bruto) do País e 70% da empregabilidade na iniciativa privada, então, nada mais justo que tenham direito ao Refis para pagamento de suas dívidas, assim como as empresas de grande porte, já que a crise econômica trouxe problemas a muitos empresários. Embora a economia dê sinais, ainda que tênues, de retomada, precisa ser fortalecida para acelerar o crescimento do País. Por isso, o Refis para as micro e pequenas é tão importante. Vou levar este pedido, que tem todo o meu apoio, ao Congresso”, garantiu Junji.

O presidente da ACMC, Marco Zatsuga, reiterou que muitas empresas deste porte esperam pelo Refis para equacionarem seus débitos fiscais e continuarem a operar, gerando emprego e renda. “Mogi das Cruzes perdeu 10 mil empregos no último ano e, no País, foram fechados 13 milhões de postos em 2017. Precisamos agilizar a mobilização para derrubada do veto a este projeto do Refis, que pode tirar muitas empresas deste porte do sufoco e proporcionar que possam trazer empregos e desenvolvimento à Região”, destacou Zatsuga.

Dados da Receita Federal apontam que cerca de 560 mil micro e pequenas empresas aguardam a vigência do Refis para equacionarem seus débitos fiscais, já que diante da grave recessão que atingiu o Brasil nos últimos anos, boa parte destes empresários priorizaram o pagamento a fornecedores e colaboradores para conseguir sobreviver. Eles, por não terem o fôlego financeiro das grandes empresas, precisam ainda mais dessa ferramenta de negociação dos débitos tributários.

O valor total dos débitos das MPEs a serem renegociados atinge R$ 22,7 bilhões e o parcelamento previsto no Refis implicaria em “renúncia” de R$ 7,8 bilhões em 15 anos. Na explicação para o veto, a equipe econômica da Presidência da República não esclarece, no entanto, quanto do montante total do débito se refere ao principal e quanto é devido a juros e a multas que, seguramente, deve responder pela maior parte do total dos débitos fiscais.


CERTIFICADO DIGITAL

PROE

Imagem
PARCEIROS

CLIMA



REDE SOCIAL

DIÁRIO DO COMÉRCIO

Associação Comercial de Mogi das Cruzes
Rua Barão de Jaceguai, 674 - Centro - Mogi das Cruzes/SP
acmc@acmc.com.br

Logo